18 August 2009

"Deus está casado com Angola"

Ouvi uma vez, e escapou-me algo. Ouvi segunda vez e, sem querer acreditar, ainda reconfirmei com alguém que estava perto de mim se o que me entrava orelhas dentro era mesmo real. E era. Hoje, em pleno discurso perante os recém-chegados basquetebolistas campeões africanos, Job Capapinha, enrolado nas vestes de vice-presidente do abnegado Movimento Nacional Espontâneo, atirou, a dado momento, em citação de outrem: "Deus está casado com Angola". Viram-se caras espantadas, alguns risos nervosos interromperam o discurso. Mas logo em seguida o antigo governador de Luanda remeudobrou o tom, e com mais força relançou o que "alguém" dissera em relação ao "deca": "Repito: Deus está casado com Angola..."

Imagino que o velho barbudo se tenha revolvido todo lá no céu ou onde quer que esteja. E que até os anjos tenham deixado cair as suas flautas e ficado de boca aberta e olhos esbugalhados perante o anúncio inesperado. De facto, para casamento só faltou o "pode beijar a noiva" e a marcha nupcial.

Mas se é mesmo verdade, resta saber quais as verdadeiras intenções de Deus ao casar-se com uma dama bonita, é verdade, mas que atrai constantemente abutres nojentos. Foi casamento em comunhão ou separação total de bens, como se interrogou um kamba meu ? Foi por conveniência ou por amor? O alembamento, foi quanto? E o pedido, correu bem ou houve discussão da grossa? Como reagiram os velhos tios socialistas a um casamento logo com Ele, o Sr. Deus? E quem levou a noiva ao altar? Um dos muitos padrastos que por aí abundam? Quem foi ao casamento? Apenas os do costume e a UGP? Comeram funje e beberam kissangua ou lambusaram-se com caviar, encharcaram-se em espumante topo de gama e arrotaram caro? Quem foi o palhaço e o bêbado da festa - um homem, um anjo, ou um homem armado em anjo?

E como estavam vestidas as damas de honor? Amarraram-lhes lenços da OPA ao pescoço e puseram-lhes bandeiras do MPLA nas mãos, como fizeram aos jogadores da selecção NACIONAL (e não partidária) de basquete, mal saíram do avião, vindos da Líbia? O coro eram as mamãs da OMA? E a decoração? Muitas bandeiras esvoaçantes do Éme e faixas a dizer "A JMPLA saúda o VI Congresso" (e não os jogadores, note-se), como as câmaras da TPA tão bem focaram na recepção aos campeões africanos, momentos antes do anúncio do casamento de Deus com Angola, por Job Capapinha? E na noite de núpcias, descobriu-se uma Angola virgem ou já iniciada por homens que a usaram e deitaram fora?

De facto, são muitas as perguntas que surgem depois desta afirmação estonteante que deveria dar lugar a uma verdadeira discussão filosófica. Tenho os meus palpites, mas em matéria divina não quero dar certezas, não vá o diabo tecê-las. "Deus está casado com Angola". Que ao menos nos traga Ele a salvação...

1 comment:

MESU MA JIKUKA said...

Só para ver até onde vai o JOB.
Tenho gostado dos textos nesta página.
Abraço