Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

Apresentados

Os fantasmas de Tlatelolco

No verão de 1968, uma crise estudantil no México põe o governo de Gustavo Díaz Ordaz à beira de um ataque de nervos. O braço-de-ferro acaba de forma abrupta a 2 de outubro, com o massacre de um número indeterminado de manifestantes na Praça das Três Culturas, no bairro de Tlatelolco.



“Está-me a sair muito sangue?” – pergunta Pablo Berlanga. Um abraço em silêncio responde.

“São corpos, senhor…” – aponta um soldado ao jornalista José del Campo.
A metralhadora em rajadas, baionetas aguçadas nas pontas dos fuzis. Gritos.

A 2 de outubro de 1968, em Tlatelolco, Cidade do México, 10 mil estudantes, operários, professores e simpatizantes do movimento estudantil juntam-se na Praça das Três Culturas. É uma ação mais de uma luta que desde 26 de julho desse ano, exige a democratização do governo do Partido Revolucionário Institucional (PRI), no poder desde 1929.

A dez dias da inauguração dos Jogos Olímpicos do México, as autoridades resolvem cortar a contestação pela raiz. Durante meia hora, s…

Mensagens mais recentes

A Cor do Cartel

Pobreza e violência na rota para os EUA

"El Chapo" condenado a prisão perpétua

A derradeira aventura do Carocha. Volkswagen acaba com o Beetle

A fotografia de um pesadelo

“Os ventos de mudança em Angola já chegaram”

Seis mil soldados na fronteira sul do México para evitar guerra comercial com os EUA

México: Morrer em nome da Verdade

Sonhos por Sexo - prostituição de menores na ilha do Fogo

Roteiros de Angola